• Anelise Campoi

Projeto Acessível: Como criar um projeto acessível para todos?




Cada país tem suas próprias normas de acessibilidade e tudo que tange o desenho universal, então, as medidas que vamos passar aqui servem apenas para ilustrar a amplitude mínima em cada projeto, de acordo com o ‘Guia de Acessibilidade Universal da Ciudad Acessible’. Lembrando que esse números são conceituais e podem variar de acordo com cada projeto. Antes de projetar, procure saber as regulamentações obrigatórias da região.


Os corredores e passagens devem ser contínuos e seguros e todos os tipos de obstáculos devem ser evitados, para proporcionar melhor mobilidade e segurança. Se houver obrigatoriedade de objetos nesse caminho, os mesmos devem ser sinalizados e agrupados. Em geral, o guia prevê que os corredores devem ter 150cm para uma acomodação satisfatória e 90cm de largura para uma acomodação mínima.


Quais materiais devem ser utilizados? Nos pisos, devem-se usar superfícies antiderrapantes, como texturas sensíveis ao toque ou com mudanças de cor, que ajudam a identificar as todas, além do uso de tapetes e revestimentos que devem ser anexados ao piso.




Existe alguma forma de tornar as escadas mais acessíveis? A escada pode não ser, mas sempre existe alguma alternativa para não restringir a circulação vertical em casas, edifícios comerciais ou públicos. O elevador sempre é citado quando falamos em alternativa às escadas, entretanto, esse artifício pode ser oneroso para quem mora em uma casa, e o que tem sido feito, é a modificação do padrão da escada: degraus com no mínimo 28cm de comprimento e um espelho de 18cm, reduzindo ao máximo a altura do degrau (veja a imagem). As rampas também são excelentes alternativas quando se tem mudanças de nível.


Nas rampas, devem-se usar materiais de superfície antiderrapante com texturas que marcam início e fim, e nos corrimãos, material confortável para o pavimento da mão até o final do passeio.





As portas também podem ser mais acessíveis, com 90 e 100cm de largura, que podem ser abertas ou deslizadas completamente, com alças ou barras anatômicas a 95cm de altura. As portas giratórias não são totalmente acessíveis e devem ser evitadas, caso o estabelecimento opte por dispositivos hidráulicos ou elétricos, os mesmos devem ser regulados para fornecer tempo suficiente para que as pessoas passem.


As janelas também devem ser adaptadas para janelas dobráveis (que abrem para dentro), deslizantes (com deslocamento horizontal) ou pivotantes (com deslocamento horizontal ou vertical). Ao projetá-las, é importante observar e entender profundamente o usuário, para tomar as decisões corretas na hora de projetar.


As portas e janelas devem incluir alças com mecanismos de pressão ou alavanca em portas e janelas dobráveis e barras ou alças em portas e janelas de correr. As fechaduras devem ser fáceis de operar também.





Os banheiros devem ser projetos à parte, justamente por conter fatores mais delicados como vasos sanitários, pias e espelhos. Na imagem, é possível observar o esquema que é feito no banheiro.


Vasos Sanitários devem ser instalados a uma altura máxima de 50cm, liberando pelo menos um acesso lateral de 80 cm de distância. Os mecanismos devem ser operados pelo usuário com facilidade.


As pias devem estar localizadas a uma altura de 80cm, evitando que ela se sente em móveis ou pedestais, liberando o espaço para uma cadeira de rodas se aproximar, no mínimo 70cm.


Os chuveiros deve ser do mesmo nível do chão do banheiro, com uma área mínima de 90x120cm, assento dobrável e declive de 2% em direção ao ralo. As barras de segurança devem estar posicionadas a 85cm de altura, e alavancas ou torneiras únicas gerenciáveis a partir do assento. Os chuveiros com mangueiras flexíveis facilitam as ações do usuário.





As cozinhas funcionais devem fazer parte de todo o processo de adequação, principalmente porque é uma área perigosa da casa. É recomendado liberar o espaço sob o balcão ou mesa de trabalho, para permitir a aproximação de um usuário de cadeira de rodas. Os utensílios de cozinha também devem estar dispostos para facilitar o acesso.


No chão, recomenda-se a utilização de superfícies antiderrapantes, torneiras de alavancas e todos os recursos tecnológicos possíveis para facilitar a ação do usuário.





Passando para uma das partes mais importantes da casa: os dormitórios, devem ser agradáveis e aconchegantes, promovendo descanso sem nenhum tipo de trabalho extra para os ocupantes. Os arquitetos devem seguir as mesmas guias que usaram para projetar o restante da casa para proporcionar a melhor movimentação possível. Espaços de circulação com no mínimo 90cm e áreas de rotação de 150cm para cadeiras de rodas, altura do leito próxima de 50cm e espaços de armazenamento com portas de correr. Os interruptores devem ser facilmente alcançáveis para uma pessoa sentada em uma cadeira de rodas e devem ser marcados com luzes ou plástico fluorescente.





A sala de estar deve apresentar o máximo de conforto e tecnologia, para proporcionar uma experiência natural e mais intuitiva possível, seguindo os mesmos moldes do restante da casa.


É incrível pensar que hoje temos todos os recursos necessários para facilitar a vida de pessoas que possuem alguma necessidade especial, e devemos levar esses conceitos para todos os projetos, não somente nas casas. Essas pessoas devem sentir o mesmo conforto e tranquilidade que nós, para que se limite cada vez mais o ‘gap’ estrutural e social que temos entre cada indivíduo e sua particularidade.




Nossos Serviços 

- Alvarás

- Gestão de Documentação

- Consultoria

- Certificados

- Permits Control

Funcionamento

Seg - Sex: 9:00 - 18:00

  • Facebook
  • LinkedIn ícone social
  • Instagram

Contate-nos

R. Dr. Alfredo de Castro, 200, CJ 1903

Barra Funda - São Paulo - SP CEP 01155-060

Tel:   (11) 2628 5108 - (11) 2628 5208

contato@acampoiconsultoria.com.br

permits@acampoiconsultoria.com.br

© 2019 por @MLCStudio