• Anelise Campoi

Os novos escritórios: A flexibilização do espaço de trabalho

Os espaços de trabalho sofreram mudanças drásticas desde o início da pandemia. O que nós acreditávamos ser o correto, não irá servir com o passar dos anos. Você se lembra como era os escritórios? Uma grande quantidade de pessoas, trabalhando em um espaço que não recebia tanta atenção além de decoração e limpeza.


1. Espaços arejados



O primeiro ponto já está no espaço, que agora precisa ser amplo, diverso e muito arejado. Anteriormente, utilizávamos somente o ar condicionado para refrescar o ambiente. Hoje, precisamos nos atentar com o ciclo de ar do aparelho para que ele não faça a circulação de ar 'contaminado'. Por conta da urgência gerada pelo vírus, as pessoas se sentem desconfortáveis, ansiosas e também com medo de espaços fechados. Ou seja, as empresas que não pensarem nestas variáveis para seus escritórios, terão espaços de trabalho mais estressantes.


2. O Foco é o colaborador



O colaborador precisa sentir segurança e conforto em todos os ambientes do escritório, principalmente depois de ficar tanto tempo em home office. Para oferecer conforto, não é necessário muito. Traga a familiaridade do ambiente caseiro para o escritório, com espaços de descanso e de interação limitada. Aplicar pausas periódicas nas jornadas de trabalho e promover discussões conscientes nos espaços de trabalho também serão grandes trunfos dos escritórios a partir de agora.


Um ambiente que promova a criatividade e a liberdade do colaborador para extrair o máximo de seu potencial, sem que ele se sinta pressionado. Se você está se perguntando se a decoração, estrutura e cores do ambiente têm esse poder, a resposta é: SIM.


3. Interatividade e Integração na medida certa



O café é um queridinho do Brasil e essa bebida maravilhosa não perde o espaço nem nos escritórios. O espaço do café também mudou, e agora deve contar com espaços mais amplos para interação e aquele bate-papo de 10 minutinhos. Um outro ponto importante é anexar uma área com varanda/deck para que os colaboradores possam estar ao ar livre neste momento. O processo de oxigenação cerebral é fundamental para nos manter vivos, felizes, dispostos e criativos, e o ter um espaço aberto, aliado à pausa para o café, é realmente um 'game-changer'.


4. Menos é mais


A mesa cheia de 'cacarecos', porta-retratos, cadernos, livros e papéis, está com os dias contados. A ideia é aderir ao minimalismo e diminuir ao máximo o acúmulo de materiais nas mesas e outras superfícies do escritório. O espaço precisa ser sóbrio, limpo e criativo, mas isso não quer dizer que deve ser 'sem-graça', até porque existe uma crescente do movimento minimalista na arquitetura e em outras áreas também.


Estas são apenas algumas medidas que serão tomadas primeiramente, outras necessidades surgirão e nós teremos de nos acostumar com essas mudanças, porque elas serão os catalisadores para uma produção corporativa saudável, tranquila e consistente.




0 comentário