• Anelise Campoi

Bambu e barro: Usando apenas esses dois materiais, mulheres de Bangladesh construíram algo incrível!




Podemos dizer que a mente têm o poder de criar o impensável, certo? Muitas vezes essa frase se perde ao longo do caminho, quando pensamos nas dificuldades que enfrentamos na vida. Para um grupo de mulheres em Bangladesh, essa frase é uma filosofia de vida e elas não só criaram o impensável, como também foram premiadas por tamanha qualidade, sutileza e beleza de seu trabalho.


Na cidade de Rudrapur, as mulheres locais construíram um espaço chamado "Centro Anandaloy", onde funciona um centro de atendimento para pessoas com deficiência. Neste local, presta-se todo tipo de assistência para as pessoas com necessidades especiais que residem na região da cidade.


O Studio Anna Heringer é responsável pelo centro, e entende a importância desse tipo de construção, justamente porque envia uma mensagem para vários governos do mundo: "Para construir algo funcional, belo e com um propósito grandioso, não é preciso um investimento astronômico, somente força de vontade e conhecimento técnico!"


No Centro Anandaloy há também um pequeno atelier têxtil, que também é 100% administrado por mulheres. No espaço, elas podem desenvolver seus trabalhos para comercializá-los em feiras locais. Esse atelier foi feito justamente para prestar um auxílio para as mães, esposas, irmãs, filhas ou amigas de pessoas com necessidades especiais que são atendidas pelo centro. Além de fornecer assistência médica, psicológica e social, o Centro também fornece a possibilidade de um incremento de renda para os familiares dessas pessoas.


O Studio Anna Heringer fez com que a comunidade participasse da construção do centro ativamente, focando 100% nas mulheres como mão de obra para levantar o projeto e tirá-lo do papel, e a força de trabalho também contou com a ajuda de futuros pacientes do centro, já mostrando uma preocupação com a inclusão por parte do Studio.





Para quem vê de fora, o projeto posa imponente e ao mesmo tempo gracioso, lembrando construções antigas dos nativos. A escolha do material não foi aleatória: O bambu é muito resistente e o barro fornece uma excelente fixação, além de serem dois recursos abundantes na região. Outro ponto é a temperatura dentro do Centro, que acaba sendo muito mais baixa, em relação ao exterior do local. Lembrando que as temperaturas máximas em Bangladesh passam dos 30ºC no verão.


A equipe responsável pelo local ainda deixou sua declaração sobre o design e a sustentabilidade do prédio, veja a seguir:


"A tradicional técnica local de construção em barro permite levantar paredes sem a necessidade de qualquer sistema de cofragem. Tal método possibilita construir paredes curvas com extrema facilidade. Por este motivo, contrapondo-se à maioria dos outros edifícios da região, o Centro Anandaloy é uma estrutura dinâmica, modelada pela maleabilidade do barro. Suas paredes parecem dançar enquanto a rampa serpenteia alegremente até o acesso do edifício. De modo simbólico, a estrutura parece nos dizer: que seja bem vinda a nossa diversidade."


O projeto venceu o Prêmio OBEL 2020, uma premiação que valoriza e enaltece as construções que focaram no desenvolvimento social e humano. E podemos dizer que o Centro realiza essas façanhas com propriedade, certo?


E você, gostou do Centro Anandaloy? Veja mais fotos na galeria abaixo!



0 comentário